Olhar Sines no Futuro
BEM - VINDOS!!!!
Buscar
 
 

Resultados por:
 


Rechercher Busca avançada

Conectar-se

Esqueci minha senha

Palavras chave

tvi24  

Últimos assuntos
Galeria


Novembro 2017
DomSegTerQuaQuiSexSab
   1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  

Calendário Calendário

Flux RSS


Yahoo! 
MSN 
AOL 
Netvibes 
Bloglines 


Quem está conectado
11 usuários online :: Nenhum usuário registrado, Nenhum Invisível e 11 Visitantes :: 1 Motor de busca

Nenhum

O recorde de usuários online foi de 864 em Sex Fev 03, 2017 11:03 pm

Ignora demais sobre o porto de Sines, a ligação ferroviária a Sines - Espanha - França - Alemanha de mercadorias contentorizadas e é a possibilidade futura de passageiros e me fazer a grande confusão

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Ignora demais sobre o porto de Sines, a ligação ferroviária a Sines - Espanha - França - Alemanha de mercadorias contentorizadas e é a possibilidade futura de passageiros e me fazer a grande confusão

Mensagem por Admin em Sab Abr 16, 2016 6:23 pm


Ignora demais sobre o porto de Sines, a ligação ferroviária a Sines - Espanha - França - Alemanha de mercadorias contentorizadas e é a possibilidade futura de passageiros e me fazer a grande confusão o neste desconhecido no nosso País. Foi a apresentação alguns exemplos de comentários nos médias nacionais:  

Paquistão está interessado em investir no porto de Sines no Diário de Económico, 09 Mar 2016. 
Sigamos em frente e demarquemo-nos como a porta de entrada ou primeiro ponto de passagem da Europa. 
Por Salteador "

Expansão dos portos de Sines e Leixões vai avançar em duas fases no Diário de Económico, 01 Mar 2016.
O investimento num novo Terminal de contentores em Leixões é uma prioridade absoluta, sob pena de o porto de Leixões desaparecer.
Os navios que vêm sendo operados e encomendados são cada vez mais exigentes em profundidade dos canais de acesso e bacias de atracação. Os navios porta-contentores que calam até (-12m) são cada vez menos e estão a ser mandados para abate de forma acelerada.
Vigo tem cais com fundos a (-16m ). Os cais de Leixões têm fundos de (-12m). De um dia para o outro as companhias de navegação mudam-se para Vigo.

Os investimentos no Porto de Leixões nas infraestruturas gerais de acesso e abrigo, até ao bordo dos cais de acostagem, (que neste caso são de longe as mais dispendiosas) para o dotar de maiores fundos são elegíveis para serem pagos por fundos comunitários com uma comparticipação que pode ir até aos 85%.

É bom lembrar que por a Área Metropolitana do Porto ser um Nó Urbano Principal das Redes Transeuropeias o porto de Leixões é, por essa via, um porto da Rede Principal das Redes Transeuropeias.
Por José Martins

É construir novos, quando os velhos ainda não estão esgotados.
Por Viriato "

" Porto de Sines reforça liderança e já vale metade do sector no Diário de Económico, 24 Fev 2016.

Mais uma razão para avançarem com a linha de mercadorias pra espanha... rapidamente... o Alqueva andou 50 anos no papel, esperamos que esta linha de comboio de mercadorias não demore....
Por Calma malta... 

Maldito Sócrates!!!

... tudo em que ele toca se transforma em sucesso!!!

WWW.TVI24.IOL.PT/economia/negocios/porto-de-sines-investimento-privado-mas-tambem-publico
Por ArmindaFuriosa 

De cada vez que o porto de Lisboa faz greve, o de Sines cresce. Continuem a fazer greves de 3 meses por ano todos os anos, e o porto de Lisboa desaparece sem deixar rasto.
Por JoseGomesL "

" Porto de Sines já vale 51,5% do sector nacional no Diário de Económico, 04 Abr 2016. 
andámos 40 anos a pensar que portugal era um rectângulo junto à costa com 20 kilómetros de largura e 300 de comprimento (lx - porto)


agora já descobriram que não é assim?
Por JN

Ao tomar conhecimento do movimento de contentores no porto de Sines, começo a pensar que a linha de caminho de ferro Sines - Badajoz pode muito bem vir a ser mais um belo "elefante branco".
Esperemos que não e que os estudos que fundamentam a intenção de avançar com essa linha férrea, sejam estudos sérios e bem fundamentados.
Deviam ser públicos, passíveis de serem consultados.
Gostava de saber quantos contentores descarregados em Sines vão hoje, por rodovia ou ferrovia, para além de Badajoz. Isso já nos daria uma ideia de como vai ser a procura futura.
Por José Martins 

O cancelado TGV tinha como principal a ligação em alta velocidade entre Lisboa e Madrid!
Mas a partir de Évora ao lado da linha de passageiros seguia a nova linha de mercadorias que serviria este porto de Sines...

Estragamos tanto dinheiro em porcaria e as obras que fazem falta ficam por fazer...

A linha de passageiros compreendo que não era tão urgente, mas para as exportações e como ponto logístico Europeu no geral, esta linha comercial já vem tarde!
Por Danysan

Mas tarde porquê? Pelos vistos, segundo se depreende das estatísticas, não há é contentores para transportar.

Entretanto está a ser executado e em estado avançado de realização um novo canal no Suez que vai permitir a passagem de porta-contentores pós - panamax, com grandes investimentos em infraestruturas logísticas a serem feitos pelos chineses.
Uma linha destas não é rentabilizada com um ou dois comboios por dia.
As exportações têm em 90% origem no Norte e Centro do País de onde seguem por rodovia para além Pirinéus mais de 15 milhões de toneladas de mercadorias por ano.
Cheira-me cada vez mais que temos aqui um ELEFANTE BRANCO e dos grandes.
Por José Martins 

despachem a ligação a espanha da ferrovia... cá o que não se devia fazer, faz-se e o que devíamos fazer leva anos a decidir, o Alqueva andou 50 anos na gaveta... vai não vai... e a ligação por autoestrada de sines-A2....
Por Calma malta... 

Estragamos tanto dinheiro em porcaria e as obras que fazem falta ficam por fazer...

Agrada-me saber que ainda há pessoas com os olhos abertos neste país!

Cmpts
Por Danysan "


" Porto de Sines reforça posição no ‘top 20’ europeu de contentores no Diário de Económico, 15 Abr 2016.
Vamos ao que interessa.
Um porto é tanto mais importante, do ponto de vista económico, para um país ou uma região, quanto mais directamente estiver associado à economia industrial e agrícola desse país ou região. 
Um porto que apenas "vende" serviços de transporte para países terceiros tem uma valia económica muito limitada, ainda mais reduzida se se contabilizarem os custos ambientais do serviço e o custo do financiamento público das infraestruturas gerais (pagas pelos contribuintes e não incorporadas no preço de venda do serviço) que são utilizadas para prestação desse serviço.
É por essa razão que, enquanto o porto de Leixões é um porto fundamental para o País e para a Região, o porto de Sines, para movimentação de contentores (que não enquanto porto petro-químico ) deixa algumas dúvidas quanto à sua viabilidade económica.
É também por essa razão que o investimento num novo Terminal de contentores em Leixões é uma 
prioridade absoluta, sob pena de o porto de Leixões desaparecer. Os navios que vêm sendo operados são cada vez mais exigentes em profundidade dos canais de acesso e bacias de atracação.
Vigo tem cais com fundos a (-16m ). De um dia para o outro as companhias de navegação mudam-se para lá já que o porto de Leixões apenas dispõe de cais com fundos a (-12m) como há dezenas de anos.
É um crime de lesa- Pátria adiar a construção de um terminal de contentores com fundos acima da ordem dos (-16m). 
Por José Martins

Boa. Temos nas mãos a oportunidade de sermos a verdadeira porta da Europa. Ou pelo menos o ponto de paragem. Siga...
Por Salteador 

A partir do Porto de Sines, falta uma linha ferroviária moderna e uma via rodoviária diretas a Espanha. Coisa que os governos nunca quiseram saber em 40 anos. faz lembrar a Barragem de Alqueva.
Por Viriato

Esta foi uma das grandes obras do Dr Oliveira Salazar e que custou o orçamento justo.
Hoje aquela zona seria uma pequena Silicon ValeyTodavia tem lá umas 4 ou 5 unidades industriais e mais nada.
Passei lá a semana passada perto do porto e não vi um navio.
Hoje, ao vir de Leça estariam nos terminais vários barcos e ao largo uma meia dúzia para entrar.
Segundo a A I P o porto de Leixões representa 75% das exportações.Podia ser Aveiro,mas tem uma barra que norma esta assoriada,foi o porto mais caro da nossa historia.Para quê?
Quanto ao porto do P C em Lisboa ou vendem ou acaba.Porque o de Sines e Leixões são privados.
Provavelmente o de Sines é só para entrar,embora seja um excelente porto.
Penso que seria uma pergunta para o Cunhal o bloqueio ao porto de Sines após o tal 25
Estao a acabar com o Aeroporto e a seguir vai o porto de mar
Quero agradecer ao Sr Eng Sócrates o carinho e visão que teve sobre porto leixões pela grande obra que deixou ficar para o pais.
Ele não era grande coisa,mas, os que vieram são pessimos
Por Manuel Costa "

" Évora contra traçado da linha ferroviária entre Sines e Espanha no Diário de Económico, 08 Abr 2016.
Os dois autarcas de Évora entendem ainda que a nova linha, com passagens previstas de 55 a 60 comboios diários, de 750 metros cada, a grande maioria de mercadorias, irá implicar outros problemas de maior ao nível da poluição no centro de Évora.  
Por Nuno Miguel Silva/Câmara Municipal de Évora 

Os éborenses têm razão: a linha deveria passar pela cidade que é, para além de Sines, a mais progressiva de todo o Alentejo. A passagem da nova via pela cidade poderia ser uma forma de lhe dar um maior impulso até porque ficaria a cerca de 30 min. de Badajoz.
Por Mrsrosa55 .

Vivo em Évora e esta linha existe há mais de cem anos, mas está desactivada. Quem construiu nas imediações ou para lá da linha, sabia que estava a construir junto a uma linha que já existia. O que não invalida que algumas das questões levantadas sejam pertinentes, embora seja falso que a linha "corte a cidade ao meio", porque ela passa nos arrabaldes da cidade. O que está em causa são meia dúzia de quilómetros de linha , ou nem isso, e portanto acredito que seja fácil encontrar uma solução que sirva a todos, a quem vive perto da linha, à empresa que vai construir a infraestrutura e sobretudo à economia nacional que precisa desta linha como de pão para a boca. 
Bom senso precisa-se e o pior que pode acontecer, é, mais uma vez, politizar uma situação que é do interesse comum.
Por ALexandre Policarpo

é por estas e por outros que o país nunca avança... o Alqueva teve 50 anos pra sair do papel... Agora que há possibilidade de explorar gaz e petróleo no algarve o pessoal protesta...caminho de ferro importantíssimo vai passar em Évora, o pessoal protesta... enfim!!!
Por Calma malta...

E se passasse à sua porta que fazia ?.
Por C.A.Reis

Parece que já lá passa há cem anos e ninguém se queixou. Leia o comentário do eborense Alexandre Policarpo acima.
Por Manuel D.

Há sempre quem conteste, ou por isto, ou por aquilo, é impossível haver soluções que sejam aprovadas por todos, o que deve haver é bom senso, e escolher a solução mais abrangente, e que esteja de acordo com o que melhor serve o País.

Doutro modo nunca se fazia nada.
Por Jcesar "

" Petição a contra de troço ferroviário de mercadorias passe em Évora no Fórum de Skyscrapercity Portugues, 15 Abr 2016. 

Os Eborenses foram recentemente confrontados com a decisão da empresa Infraestruturas de Portugal (IP) de usar a ligação ferroviária no Ramal de Estremoz, inativa há vários anos, como um dos troços de ligação ferroviária para transporte de mercadorias entre Sines e Badajoz, por onde circularão diariamente mais de 50 comboios com uma dimensão que pode atingir 750 metros cada.

------------------------------------------------------------

Évora, reconhecida como Património Mundial pela UNESCO que em 2016 celebra o 30º aniversário da outorga da distinção, que justamente se orgulha do seu património edificado e cultural e promove ativamente a qualidade de vida dos que aqui vivem e dos que nos visitam insurge-se civicamente contra esta decisão que de forma drástica vai condicionar o seu futuro. Num tempo em que cada vez mais as fronteiras físicas e culturais são abolidas por todo o mundo, não podem os Eborenses tolerar que uma nova barreira artificial divida a Cidade, quebre a sua harmonia e abra uma ferida profunda no seu tecido urbano.  

--------------------------------------------------------------

4. Introduz um maior risco à vida das pessoas nas zonas limítrofes, com escolas a uma distância inferior a 100m da linha, devido ao transporte de produtos potencialmente perigosos destinados e vindos dos terminais petroleiro e petroquímico de Sines; 

--------------------------------------------------------------

6. Afeta o património material e imaterial da Cidade, ao reduzir irreversivelmente a notável tomada de vistas sobre a cidade da zona nascente e destruir parte de uma quinta patrimonial (quinta da Piedade), contrariando as opções do atual PDM.

Por MOVIMENTO DE CIDADÃOS ÉVORA UNIDA/Câmara Municipal de Évora "

_________________
Cláudio Carneiro


Facebook
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 16760
Pontos : 49157
Reputação : 0
Data de inscrição : 07/12/2013
Idade : 30
Localização : Sines

Ver perfil do usuário http://olharsinesnofuturo.criarforum.com.pt

Voltar ao Topo Ir em baixo

Mais comentários:

Mensagem por Admin em Dom Abr 17, 2016 2:07 pm

" O ilhéu que dá a volta ao mundo cheio de contentores no Semanal de Expresso, 13 Agost 2015.
 na marinha mercante não se usam galões ou fardas, excepto no transporte de passageiros (paquetes e ferries) ou em alguma ocasião social
as tripulações são pequenas, todos se conhecem, e mesmo só raramente os pilotos da barra aparecem com "passadeiras". calções, chinelas, roupa prática e, quando no convés, botas de protecção e fato macaco.

nos muitos anos em que fui oficial da marinha, só um par de vezes pus as "passadeiras" e uma delas foi um evento militar onde, curiosamente, era mais graduado que o comandante da base :-)
Por Alexandre Pessoa

Devemos repensar o futuro de Portugal. A suiça dona do navio em questão , da cartas na navegação mundial. A suiça na esta na EU , a Suiça não esta no euro , a Suiça é rica ! O que queremos nos do euro ? Pode o euro e a EU dar mais a Portugal ? Vale a pena continuar euro ? A que preço ?
Por João Porto

Sem dúvida, Suiça controlando nos porta-contentores, Portugal que tem a maior área marítima europeia fica a ver passar os barcos que os outros constroem. Muito bom mesmo, não se cuidem não, depois não se queixem!!!
Por JC

DEVEM AGRADECER AO PS E ESQUERDA PORTUGUESA QUE DESTRUIRAM OS ESTALEIROS E TODA A INDUSTRIA NAVAL, , o ULTIMO FOI O DE V. do CASTELO....
E QUER ESTA GENTE SER GOVERNO OUTRA VEZ!!!!
Por jose geraldes

Pena ninguém falar nos terriveis acessos por terra a Sines, Ninguém entende como querem o porto de Sines como um dos grandes da europa sem os devidos acessos por estrada, que foram começados e estão parados à anos.
Por Paulo Alexandre 

Um país que não tem mar a Suíça é um dos maiores players mundiais do transporte marítimo e aéreo também. Portugal um país com imenso mar dedica-se apenas e só à reparação naval, um verdadeiro paradoxo e que urge a curto prazo colmatar e dado que não temos empresários ou armadores com a estaleca para se meterem em mar alto, lá terá de ser o estado preencher esta grave lacuna e não condizente com a nossa gloriosa história marítima e comercial.
Por Pedro Lopes

o imediato coordena o plano de estiva com o harbour master, para garantir o equilíbrio do navio. 
os pórticos sacam os contentores directamente para TIRs que os levam para o destino fora do porto ou para atrelados ou autogruas que os colocam na zona de espera respectiva do terminal de contentores.
em todos os casos, passam sempre por uma fase de desalfandegagem e verificação para efeitos de seguro, normalmente acompanhada por um agente de navegação
Por Alexandre Pessoa

Com o governo vendedor do país a retalho, o Porto de Sines...a...porto de "S(ch)ineses...vai um paçinho muito curto!
Por zaze200

Toda a operação do Terminal de Contentores do Porto de Sines está concessionada à PSA que é de Singapura e faz o mesmo em dezenas de portos por todo o mundo.
Podemos assacar muita coisa ao "paçismo" mas não vale a pena ser ridículo.
Por Adolfo Martins 

O porto de Sines tem condições excepcionais para se tornar uma referência mundial.

O congestionamento nos grandes portos da Europa e o alargamento do canal do Panamá são dois pontos fortíssimos a favor de Sines. Por cá necessitamos de trabalhar afincadamente e rodeados pelos melhores para criar e executar um projecto ambicioso e realista por forma a captar e responder às necessidades e expectativas dos armadores e outros agentes portuários.
Por Carneiro 

E com muito equipamento português, de há anos a esta parte
Por Elabrador 

O canal do Panamá está em obras de alargamento para permitir operar Navios acima de 10 000 contentores desde 2007 e estava prevista a conclusão em finais de 2013. Devido a diversos conflitos financeiros e outros atrasos a conclusão da obra tem sido adiada, a conclusão agora prevista o primeiro semestre de 2016.
Por Carneiro "

" Sines a “bombar”: há mais um gigante por aí no Semanal de Expresso, 19 Agost 2015.
Para o eleitor que não se demita da sua função de avaliador, escrutinador e o queira fazer de modo criterioso, vê aqui um POTENCIAL motivo de alegria - a verificar-se durante muitos anos - se isso representar trabalho, crescimento da economia. Esta notícia tem assim dois SE's: 1. Continuidade/Sustentabilidade; 2. Lucro comercial (grandes navios podem representar saídas/perdas). Além disso, para o homem comum (povo, eleitores), importa muito o "colectivismo" porque é inconcebível governo que não se dedique ao "público" (em todos os sentidos), por um lado, e por outro, as questões do foro pseudo-ideologicas contam para as avaliarmos por objectivos/resultados e não passam de slogan's de gang's/claques. Queremos é saber o que vão fazer contra a corrupção de topo, a responsabilização criminal da má gestão do que é nosso (capitais públicos), como pensam resolver os seus problemas, a verdade sobre o apoio que o (meu) estado está a dar aos bancos privados, o que pensa fazer com o banco público, qual a estratégia política junto da "união europeia" face à dívida e aos juros desta, a política fiscal, o apoio à quantidade (criação) e à qualidade (técnica e de direitos) do trabalho, etc. Ou isto não é do entendimento de algum partido que seja da competência do governo que venha a formar? Há mais algum assunto além destes que interesse para formar uma opinião quanto ao sentido do voto - salvo, claro, os cartazes, o navio, a bola?
Por Carlos Mendes

Foi obra iniciada no anterior regime (1970), ampliada com um projecto do Cavaco e terminada num governo do Guterres que apanhou o comboio em andamento e a chegar ao destino final.

Aliás, ainda estou a aguardar o seu comentário sobre este assunto e que colocou em questão as afirmações que fiz e eu já lhe enviei as transcrições do site do porto de Sines
Por Álvaro

Que comentário?

Em já lhe transcrevi o abaixo mencionado e não recebi nenhuma resposta sua:

Então, vamos lá.

Transcrição do site do porto de Sines:

"Com uma construção recente (1978), dispõe de um ordenamento de referência, livre de pressões urbanas, assegurando capacidade de expansão a longo prazo. Conta ainda com acessibilidades terrestres adequadas para o tráfego atual e com um plano de evolução rodo-ferroviário, que permitirá dar resposta às projecções futuras de crescimento do porto e da sua área de influência."

O plano estratégico para o período de 2003 a 2015 é que foi elaborado em 2002

"O Plano Estratégico do Porto de Sines foi elaborado em 2002 e tem vigorado no período 2003 – 2015"

Em que ficamos?
Por Álvaro

O primeiro que encontrei diz:

"O Porto de Sines é o principal porto na fachada ibero-atlântica, tendo entrado em operação em 1978. As suas características geofísicas têm contribuído para a sua consolidação como activo estratégico nacional, sendo, por um lado, a principal porta de abastecimento energético do país (petróleo e derivados, carvão e gás natural) e, por outro, posiciona-se já como um importante Porto de carga geral/contentorizada com elevado potencial de crescimento para ser uma referência ibérica, europeia e mundial."

Como já lhe tinha dito num comentário que fiz anteriormente.

Outra notícia:

O porto de Sines é o primeiro maior porto artificial de Portugal e um porto de águas profundas, de fundos naturais até −28 m ZH, com terminais especializados que permitem o movimento de diferentes tipos de mercadorias. Para além de ser o principal porto na fachada atlântica de Portugal, devido às suas característicasgeofísicas, é a principal porta de entrada de abastecimento energético de Portugal: contentores, gás natural, carvão, petróleo e seus derivados (Características, 2007). A sua construção teve início em 1973 e entrou em exploração em 1978. A 14 de Dezembro de 1977 foi criada a Administração do Porto de Sines (APS)(30º, 2007). O porto opera 365 dias por ano, 24 horas por dia, disponibilizando serviços tais como: controlo de tráfego marítimo; pilotagem, reboque e amarração; controlo de acessos e vigilância; água potável e bancas; combate a acidentes/poluição; reparações a bordo ou em terra (Serviços, 2007). O porto de Sines situa-se a 37º 57' de latitude Norte e a 08º 52´ de longitude Oeste, a 58 milhas marítimas a Sul de Lisboa (Localização, 2007).

Em 1977, terminou a gestão e exploração do porto de Sines pelo GAS. O GAS foi considerada como tendo falta de aptidão para explorar e administrar os empreendimentos existentes, estando nesta fase concluídas as obras no molhe Oeste e em fase de conclusão o terminal petroleiro. Foi, assim, criada, nesse mesmo ano, a APS, que se apontava com propensão para dinamizar o pólo em desenvolvimento (25, 2004, p. 26).

Em 1979, o molhe Oeste foi atingido por tempestades que provocaram profundos estragos. A sua reabilitação só foi concluída em 1992 (25, 2004, p. 28).

Em 2004, o porto de Sines já se tinha tornado essencial na recepção de crude, carvão e gás natural (Martins, 2004, p. 20).

O que está de acordo com o que eu disse no meu primeiro cometário:

"Este projecto teve inicio em 1970.

Em meados dos anos 80 foi projectada e em inicio de 90 iniciadas as obras de alargamento"

Eu recordo-me da história sobre o porto de Sines em 1992, porque fiz um trabalho académico sobre o tema.

Depois de 1992 até à presente data, todos os anos tem havido investimento em novas infraestruturas como acontece em Leixões, por exemplo.

Não digam que foi obra do Guterres ou do Socrates. O projecto que levou ao aumento da construção e do aprofundar das águas para os navios de maior calado é da responsabilidade de um governo do Cavaco. Tal como eu disse inicialmente. Certo?
Por Álvaro

O que lhe disse desde o inicio e mantenho, em 1992, já entrou em Sines o primeiro navio de grande calado.

Foi aqui(1992), que o porto de Sines entrou nas bocas do mundo e passou a receber porta contentores.

Por existir a possibilidade de um porto em alto-mar e Portugal não aproveitar aquela localização é que correu muita tinta
Por Álvaro

Mas afinal interessa alguma coisa saber se eram os palermas do PSD ou os cretinos do PS que estavam no poleiro? Qualquer um que lá esteja é pago com os nossos impostos e portanto, honrando a profissão devem exercê-la com aprumo, afinco e dignidade. E, já agora, o dinheiro investido nas obras, ou é dos nossos impostos ou de empréstimo que ainda estamos a pagar. Portanto, deixem-se de lérias, foi o Governo Português que madou fazer o projecto e executar as obras. É uma obra da nação e mais nada.....
Por José Alves Martins

mesmo os monopólios estatais dão prejuizo ou não dão os resultados que podiam dar se fossem geridos por privados, mas quem é maluco o bastante para investir o seu dinheiro num país com uma constituição comunista e onde o poder caiu nas mão da filial local do PC há já mais de 40 penosos anos?
os efeitos do comunismo já são muito mais perniciosos que a ocupação dos Habsburgos, em 1640 Portugal retomou a maioria das suas colónias, em 2015 já desistiu de o fazer e são as suas colónias a comprar Portugal a retalho
Por oleg

Quanto ao privado/público está a falar de exemplos como a banca privada (BES, BPP, BPN) e do Banco de Portugal, certo?
Por Carlos Mendes

Se o que é do "estado" (ou seja, "meu") der prejuízo por incompetência ou dolo, exijo responsabilização (que normalmente significa corrupção política, à qual os partidos da esfera da governação contribuiram com os bois - ou é com y). Isso resulta não do comunismo mas da impunidade de que esta peste goza. Ou seja, empestam também a "justiça". Eu não sendo adepto do comunismo, num intervalo dos últimos 10 anos (muito depois da e esquecendo agora a "descolonização" dos Portugueses e entrega ao cubanos), devo um grande OBRIGADO ao PCP pelo enorme serviço de grande e reconhecida honestidade no modo como trabalham na Assembleia da República em geral e no Lobie (palavra minha) como defendem o trabalho (pois é isso que sou), e quase sempre ponderando o factor da sustentabilidade do negócio - no meu entender. É estranho a palavra "produção" estar associada ao PCP. É igualmente estranho as palavras "precariedade" no ordenado e no vínculo estar associada a todos os governos desde o 25 de Abril e mais, sem dúvida ao sr. Coelho. O modo como falou seria adequado SE o partido que defende tivesse resultados do mesmo modo. Deduzo portanto, a avaliar os resultados, que está a falar de outro país e de outros políticos diferentes dos meus -zinhos, corruptos, mafiosos, mal formados, com a mania das importãncias, ligados aos amigos e às sedes das claques ou dos seus partidozitos em vez dos seus eleitores - os Portugueses.
Por Carlos Mendes

Concordo particularmente no que se refere ao investimento do nosso dinheiro público no BPP, BPN e BES ["nosso" é comunismo, não é? Excepto, claro, na bola]
Por Carlos Mendes

Mas são os "públicos" que nos dizem respeito. E sem o "público" não há necessidade sequer de governo.
Por Carlos Mendes

Não lhe parece que o estado deve ter um papel regulador? E que deve criar leis justas e fomentar uma justiça expedita? E que tal promover a educação dos seus jovens?... Só alguns exemplos para refletir. E depois diga lá, o governo só serve para fazer investimentos públicos, a sério?
Por D X

Sem dúvida. O estado não tem que ser só regulador mas um player activo sem ideologias/ideias fixas; A cada circunstância uma reacção adequada, sendo melhor que antecipe e sem siga por caminhos sustentáveis. E não há estado mau. Há é mau estado quando não há boas pessoas a dirigi-las. E estes não só não se ouve sobre consequências de avaliação de desempenho profissional medíocre como, muito pior, de desempenho criminosamente doloso contra o estado (nós). E todos falam na legitimidade do lucro privado mas ninguém fala que é possível e mesmo desejável que o estado dê lucro, sendo este, claro, de natureza nacional. Seria por exemplo se a justiça fosse justa (não corrompida pelos lobies a que os políticos se envolveram), se as Polícias andassem bem equipadas, dignamente oneradas, incentivadas a fazer o seu trabalho e fossem dada a sequência justa na justiça (só isto limpava metade da corrupção), fosse fomentada maior interacção entre as escolas e as empresas para fixar cá a inteligência e a experiência, produzíssemos mais para importar menos, se importássemos de modo mais racional. Já no emprego não vejo vantagem do estado ser regulador já que vejo conflito de interesses pois entento-o com empregador. Além de que tem sido um mau exemplo (sem calhar por isso mesmo) e muitas vezes o pior exemplo, quer nas obrigações para com o trabalhador quer para com o próprio estado (entrando regularmente na ilegalidade e não apenas contra a segurança social). Mas é inconcebível que seja o privado a dominar a saúde, a educação, a justiça, a segurança pública e a militar, etc.
Por Carlos Mendes

Sem os investimentos públicos não haveria economia.

Só nos delírios febris dos liberais como o Bakoras é que tal coisa seria possível.
Por Zé Pagode

O BPN, o BES, a PT são "bons" exemplos de que nem só as coisas do Estado são uma porcaria.
Por Alex

Existem alguns países europeus fortes e com índice de nível desenvolvido muito elevado com forte presença do estado. O sistema escolhido não é o mais importante, o problema é implementar esse sistema corretamente. Dinamarca e França são ambos campeões no número e despesas com os funcionários do estado e são países que funcionam. A Alemanha e Espanha têm poucos, um funciona bem o outro mais ou menos. O Brasil não tem muitos funcionários públicos e não funciona...
O problema não é ser liberal, ultra liberal ou o oposto.
Por Alex

tanta ignorância..., o fascismo, goste-se ou não, é diferente do comunismo. Comece por olhar para os campos de concentração que os comunas fizeram/fazem, onde morreram mais de 100 milhões de Seres Humanos. Aprenda a respeitar as vítimas inocentes.
Por Amora Bruegas

Ler mais os comentários a francamente ignorantes sobre a falar de política e de empresas a fora do tema no assunto da nesta página da notícia: http://expresso.sapo.pt/economia/2015-08-19-Sines-a-bombar-ha-mais-um-gigante-por-ai#comentarios "

" Porto de Sines premeia trabalho de ensaio sobre o seu valor geoestratégico no Jornal Público, 12 Dez 2015.
Mas o Porto de Sines tem algum valor "geoestratégico" ?!?! fica no rabo da Europa, longe de tudo o que é fábrica ou centro de consumo, maximizando o transporte terrestre que é 4 vezes mais caro que o marítimo. Para piorar, já afetou seriamente o Parque nacional da Costa Vicentina, esse sim de alto valor social e económico para Portugal, sendo único na Europa
Por Mnel "

António Costa defende ligação ferroviária entre Sines e Badajoz no Observador, 2 Fev 2015. 
Agora já são dois a defender linha de comboio de mercadorias entre Sines e Badajoz Passos Coelho e Costa…
Por Pedro Sousa "

_________________
Cláudio Carneiro


Facebook
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 16760
Pontos : 49157
Reputação : 0
Data de inscrição : 07/12/2013
Idade : 30
Localização : Sines

Ver perfil do usuário http://olharsinesnofuturo.criarforum.com.pt

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum