Olhar Sines no Futuro
BEM - VINDOS!!!!
Buscar
 
 

Resultados por:
 


Rechercher Busca avançada

Conectar-se

Esqueci minha senha

Palavras chave

tvi24  

Últimos assuntos
Galeria


Dezembro 2017
DomSegTerQuaQuiSexSab
     12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31      

Calendário Calendário

Flux RSS


Yahoo! 
MSN 
AOL 
Netvibes 
Bloglines 


Quem está conectado
19 usuários online :: Nenhum usuário registrado, Nenhum Invisível e 19 Visitantes :: 2 Motores de busca

Nenhum

O recorde de usuários online foi de 864 em Sex Fev 03, 2017 11:03 pm

“Não há fontes de Belém”

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

“Não há fontes de Belém”

Mensagem por Admin em Dom Mar 12, 2017 11:53 am

Por alguma razão, num ano de mandato, Marcelo aparece em 18.342 artigos de jornal

Marcelo Rebelo de Sousa ‘omnipresente’ é a imagem de marca do primeiro ano de mandato presidencial. É no que dá responder a todas as solicitações, comentar quase tudo e estar todos os dias nas notícias.

A Cision conta que o Presidente surgiu em 18.342 artigos, em 1.060 horas de emissão nas estações televisivas, o equivalente a mais de 44 dias, e em 2.008 horas de programação na rádio. Percebe-se. Marcelo domina actualidade, capitaliza a agenda mediática, conhece como poucos o poder dos média. Mas há ainda uma outra boa causa e razão estratégica.

Em vários momentos avisou que não é “responsável por aquilo que sai na comunicação social” mesmo quando é colado às narrativas que alguns meios tentam credibilizar. Com uma advertência séria: para além do próprio, ninguém fala em seu nome. Por isso, fala quase sempre, de modo a evitar intrigas que desviem atenções do essencial e ruídos nos relacionamentos institucionais.

Ora, ontem lemos no ‘Expresso’ alusões a “fontes de Belém”, por sinal num assunto relativo à Madeira Autónoma, que os saudosistas entendem dever submeter-se às birras do centralismo, com base naqueles pareceres técnicos ou jurídicos que variam conforme as necessidades e aspirações de quem os encomenda, expediente em que alguns juristas da Região são especialistas.

A menos que Marcelo Rebelo de Sousa tenha mudado de agulha para o segundo ano do mandato, importa lembrar algo que deixou claro, por diversas vezes, e que até agora assumíamos como verdadeiro. “Eu desde o início do mandato tenho adoptado uma posição que é: não há porta-vozes meus, não há fontes de Belém, a única fonte de Belém sou eu, é o Presidente. E o Presidente, quando entende que deve falar, fala claro, não fala mais ou menos, não fala assim-assim”.

Com a novela em torno da re-denominação do aeroporto madeirense, entre os habituais provincianismos, a ignorância atrevida, o défice de abordagem técnica às consequências do ‘rebranding’ e a constatação que os códigos IATA e ICAO não mudaram só porque Humberto Delgado e Francisco Sá Carneiro dão o nome aos aeroportos de Lisboa e do Porto, ficamos na dúvida se Belém inaugurou outras fontes e que estamos numa era informativa pós-presidencial. É que se o fez devia ter anunciado a todos os meios a nova forma de relacionamento, até porque os portugueses de todos os lugares apreciam saber o que pensa o Presidente, mesmo que não concordem com as suas posições. Se não o fez, uns e outros que se expliquem.

RICARDO MIGUEL OLIVEIRA , DIRECTOR  / 12 MAR 2017 / 02:00 H.
Diário de Notícias da Madeira

_________________
Cláudio Carneiro


Facebook
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 16760
Pontos : 49157
Reputação : 0
Data de inscrição : 07/12/2013
Idade : 30
Localização : Sines

Ver perfil do usuário http://olharsinesnofuturo.criarforum.com.pt

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum