Olhar Sines no Futuro
BEM - VINDOS!!!!
Buscar
 
 

Resultados por:
 


Rechercher Busca avançada

Conectar-se

Esqueci minha senha

Palavras chave

tvi24  

Últimos assuntos
Galeria


Dezembro 2017
DomSegTerQuaQuiSexSab
     12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31      

Calendário Calendário

Flux RSS


Yahoo! 
MSN 
AOL 
Netvibes 
Bloglines 


Quem está conectado
13 usuários online :: Nenhum usuário registrado, Nenhum Invisível e 13 Visitantes :: 1 Motor de busca

Nenhum

O recorde de usuários online foi de 864 em Sex Fev 03, 2017 11:03 pm

Os bancos, as empresas e os delírios perigosos

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Os bancos, as empresas e os delírios perigosos

Mensagem por Admin em Ter Mar 14, 2017 11:46 am

Os bancos, como gestores das poupanças que lhes são confiadas, estão naquela fronteira escorregadia em que escolhem a quem se empresta dinheiro e quanto, sendo por isso muito grande a tentação de alguns políticos se servirem deles para poderem manipular a realidade a seu bel-prazer.

Por isso, a primeira década após a entrada de Portugal no euro conduziu infelizmente a um fenómeno muito específico do nosso país, de aumento exponencial da "promiscuidade irresponsável" entre uma parte importante do poder político e do poder de quem controla os bancos.

Nessa década, em que alguns responsáveis portugueses, a começar pelo então governador do Banco de Portugal, Vítor Constâncio, consideraram erradamente que Portugal deixava de ter restrições ditadas pela balança de pagamentos com o exterior, os grandes beneficiados foram os "setores protegidos" da economia, ou seja, aqueles que estão protegidos da concorrência direta dos mercados globais.

E os grandes prejudicados foram desde logo as empresas dos bens diretamente transacionáveis, ou seja, as sujeitas à feroz concorrência internacional. Só que depois de Portugal ter sido conduzido à pré-bancarrota, em maio de 2011, os outros prejudicados foram os próprios bancos - e em especial os respetivos acionistas .

E porquê?

Porque numa economia com poucos capitais, como a portuguesa, emprestar a empresas muito endividadas é um risco que, se estas empresas se tornarem insolventes, acaba depois por cair em cima dos próprios bancos através das famosas imparidades.

Assim, a única forma saudável para assegurar a estabilidade do setor bancário a médio e a longo prazo é fomentar a capitalização das próprias empresas de bens transacionáveis a quem os bancos emprestam dinheiro. Mas parece estar agora a ressurgir em Portugal um novo "delírio perigoso" em que alguns responsáveis parecem estar a propor a "recapitalização dos bancos" para que eles possam de novo fomentar o crédito ao consumo dos particulares e o financiamento a empresas descapitalizadas.

Esse seria o caminho de re-gresso à pré-bancarrota de maio de 2011!

E como é possível, depois dum tal desastre que nos levou a um duro programa de ajustamento durante mais de três anos, haver de novo esta tentação?

Porque, numa primeira fase, fomentar o consumismo parece só ter vantagens: os cidadãos consomem mais, as empresas faturam mais e o Estado arrecada mais impostos e controla melhor o défice. O desastre vem mais tarde...

Ora só com empresas dinâmicas e dispondo de rácios de capitais próprios adequados é que Portugal poderá sobreviver no euro e competir nos mercados globais. E aqui o atual governo assumiu já alguns benefícios fiscais aos aumentos de capital mas lamentavelmente recusou a descida das taxas de IRC que anteriormente o próprio PS tinha aprovado.

E os bancos, pelo seu lado, terão de utilizar uma sábia mistura de exigência e colaboração com as empresas, para assegurar a sua própria rentabilidade e atrair por sua vez as poupanças que, num círculo virtuoso, irão depois fertilizar toda a economia.

Só que isso exige tempo, competência e muito esforço!

Professor Catedrático do Instituto Superior Técnico

14 DE MARÇO DE 2017
00:00
Clemente Pedro Nunes
Diário de Notícias

_________________
Cláudio Carneiro


Facebook
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 16760
Pontos : 49157
Reputação : 0
Data de inscrição : 07/12/2013
Idade : 30
Localização : Sines

Ver perfil do usuário http://olharsinesnofuturo.criarforum.com.pt

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum