Olhar Sines no Futuro
BEM - VINDOS!!!!
Buscar
 
 

Resultados por:
 


Rechercher Busca avançada

Conectar-se

Esqueci minha senha

Palavras chave

tvi24  

Últimos assuntos
Galeria


Dezembro 2017
DomSegTerQuaQuiSexSab
     12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31      

Calendário Calendário

Flux RSS


Yahoo! 
MSN 
AOL 
Netvibes 
Bloglines 


Quem está conectado
12 usuários online :: Nenhum usuário registrado, Nenhum Invisível e 12 Visitantes :: 1 Motor de busca

Nenhum

O recorde de usuários online foi de 864 em Sex Fev 03, 2017 11:03 pm

Uma oportunidade única para construir o futuro

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Uma oportunidade única para construir o futuro

Mensagem por Admin em Qui Mar 16, 2017 12:13 pm

Em duas semanas, passei uns dias em Berlim e outros em Paris. Viajei sem o menor problema ou dificuldade, de cartão de cidadão na mão e bilhetes de avião carregados no telemóvel. Nem um papel, nem uma contrariedade. Zero confusão. Porque ambas são capitais europeias, quando precisei de pagar contas ou levantar dinheiro limitei-me a usar o cartão que uso diariamente. Sem espinhas.

Como eu, milhões de cidadãos de países da União Europeia viajam diariamente dentro do espaço comunitário - o aumento da concorrência baixou tremendamente os preços dos bilhetes e até às comunicações são hoje simples e baratas, se não gratuitas, mesmo entre diferentes países. Nem todos são turistas, há uma grande parte destas viagens que é feita em negócios - e as trocas comerciais delas resultantes ganharam escala e vantagens indizíveis com a integração de Portugal no espaço europeu.

São estes exemplos pequenos de quão melhor ficou a vida dos portugueses - também dos cidadãos dos restantes países da União Europeia, mesmo os mais ricos - com a integração, a moeda única e as políticas de Bruxelas. E, no entanto, as queixas e acusações que todos os dias se ouvem por aí, do café à Assembleia da República, parecem resultar de uma visão bem diferente. Quase julgamos que a construção europeia só trouxe dependência, obrigações, regras incrivelmente rígidas e inconsequentes.

A verdade é que a União Europeia trouxe largamente mais vantagens do que dificuldades, ainda que, evidentemente, haja regras a que é preciso adaptarmo-nos. Mas nenhum casamento é feito só de festa e lua-de-mel. E nesta relação há francamente mais pontos positivos do que negativos. E que não se esgotam nas questões económicas, na moeda única e na liberdade de circulação de pessoas e bens dentro do espaço comum - ainda que estes sejam aspetos muito relevantes.

Neste momento, está lançada a discussão sobre o que os Estados membros desejam ter na sua União Europeia. E esse debate devia ser feito dentro de cada país, com cada grupo de cidadãos, de forma a criar uma base o mais alargada possível de opiniões, sugestões e cenários. Queremos que fique tudo como está? Preferíamos ter mais independência e menos vantagens (uma coisa implica necessariamente a outra)? Ou antes estamos dispostos a fazer mais sacrifícios numa primeira fase para garantir melhores condições para todos? É esta a discussão que devia estar a ser feita no país - e não o vigésimo capítulo do episódio dos sms da Caixa ou a falta de candidatos autárquicos às eleições que só acontecem depois do verão. E, no entanto, nem se ouve falar do assunto. O tema mais importante para o futuro do país, que vai determinar o futuro das gerações dos nossos filhos e netos, é todos os dias deixado para trás em nome de mais uma novidade da espuma dos dias.

O que estamos a fazer é a deixar nas mãos de outros a decisão fundamental sobre o que queremos que Portugal venha a ser. E nem sequer é muito claro quem são esses outros, visto que a classe política parece totalmente alheada da importância deste assunto e nada interessada em lançar o debate.

Continuando assim, vamos deixar passar meses até entendermos sequer que existe uma discussão a ser tida e quando quisermos começar a entender o que está em causa será demasiado tarde para tomar uma atitude. 

Demasiado tarde para tomarmos parte na construção do nosso próprio futuro. E o pior que pode acontecer é descobrirmos que o nosso desinteresse e alheamento contribuíram para a desintegração do melhor projeto em que estivemos integrados.

A União Europeia não é só vantagens e qualidades. Claro que não. Mas neste momento - numa altura em que já experimentámos o que tem de melhor e conhecemos o que tem de pior - temos uma oportunidade de ouro para intervir e ajudar a reconstruir uma comunidade mais à nossa imagem, mais à medida das nossas necessidades e desejos. Não podemos deixá-la passar.

16 DE MARÇO DE 2017
00:02
Joana Petiz
Diário de Notícias

_________________
Cláudio Carneiro


Facebook
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 16760
Pontos : 49157
Reputação : 0
Data de inscrição : 07/12/2013
Idade : 30
Localização : Sines

Ver perfil do usuário http://olharsinesnofuturo.criarforum.com.pt

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum