Olhar Sines no Futuro
BEM - VINDOS!!!!
Buscar
 
 

Resultados por:
 


Rechercher Busca avançada

Conectar-se

Esqueci minha senha

Últimos assuntos
Galeria


Junho 2017
DomSegTerQuaQuiSexSab
    123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930 

Calendário Calendário

Flux RSS


Yahoo! 
MSN 
AOL 
Netvibes 
Bloglines 


Quem está conectado
21 usuários online :: Nenhum usuário registrado, Nenhum Invisível e 21 Visitantes :: 1 Motor de busca

Nenhum

O recorde de usuários online foi de 864 em Sex Fev 03, 2017 11:03 pm

​O colapso do arrendamento

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

​O colapso do arrendamento

Mensagem por Admin em Sex Mar 17, 2017 12:10 pm

Com a queda do aluguer para habitação, Portugal tem um sério problema social.

A permanência, durante longos anos, das chamadas “rendas antigas” (anteriores a 1990), ao mesmo tempo que uma elevada inflação as desvalorizava cada vez mais, travou o aluguer de casas para habitação. A tendência acentuou-se, depois, com o euro. Vieram então as baixas taxas de juro dos empréstimos bancários e o excessivo entusiasmo dos bancos em aumentar o crédito à habitação; daí que seja grande a quantidade de prédios que a banca tem hoje em seu poder, por falta de pagamento dos respectivos juros e amortizações.

Na década de 1970 haveria em Portugal cerca de um milhão de habitações arrendadas; em 2011 já eram menos de 800 mil; agora serão apenas 470 mil. A reforma da lei do arrendamento de 2012 falhou. E a recente explosão do arrendamento local, aluguer temporário a turistas, tornou ainda mais longínqua a possibilidade de famílias portuguesas conseguirem arrendar casa para habitação, nomeadamente nas grandes cidades, como Lisboa e Porto.

Esta situação impede, na prática, que famílias de menores rendimentos tenham acesso a uma casa, pois os bancos – que entretanto se tornaram mais cautelosos – não lhes concedem crédito. E tudo indica que os juros, que nos últimos anos estiveram em níveis historicamente muito baixos (caso da Euribor, nomeadamente), irão subir daqui em diante; esta semana subiu o juro director da Federal Reserve, que tenciona voltar a subi-lo mais duas vezes neste ano. Juros altos representarão uma pesada carga para o futuro, a pesar em famílias de rendimentos médios que recorram ao crédito à habitação.

Acresce que, como disse esta semana Catarina Martins, líder do Bloco de Esquerda, deixámos “degradar o parque habitacional dos bairros municipais e dos bairros sociais um pouco por todo o país”. A habitação para os menos afortunados é, facto, um sério problema de Portugal.

17 mar, 2017
FRANCISCO SARSFIELD CABRAL
Rádio Renascença

_________________
Cláudio Carneiro


Facebook
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 16760
Pontos : 49157
Reputação : 0
Data de inscrição : 07/12/2013
Idade : 30
Localização : Sines

Ver perfil do usuário http://olharsinesnofuturo.criarforum.com.pt

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum