Olhar Sines no Futuro
BEM - VINDOS!!!!
Buscar
 
 

Resultados por:
 


Rechercher Busca avançada

Conectar-se

Esqueci minha senha

Palavras chave

Últimos assuntos
Galeria


Outubro 2017
DomSegTerQuaQuiSexSab
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031    

Calendário Calendário

Flux RSS


Yahoo! 
MSN 
AOL 
Netvibes 
Bloglines 


Quem está conectado
14 usuários online :: Nenhum usuário registrado, Nenhum Invisível e 14 Visitantes :: 1 Motor de busca

Nenhum

O recorde de usuários online foi de 864 em Sex Fev 03, 2017 11:03 pm

​O colapso do arrendamento

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

​O colapso do arrendamento

Mensagem por Admin em Sex Mar 17, 2017 12:10 pm

Com a queda do aluguer para habitação, Portugal tem um sério problema social.

A permanência, durante longos anos, das chamadas “rendas antigas” (anteriores a 1990), ao mesmo tempo que uma elevada inflação as desvalorizava cada vez mais, travou o aluguer de casas para habitação. A tendência acentuou-se, depois, com o euro. Vieram então as baixas taxas de juro dos empréstimos bancários e o excessivo entusiasmo dos bancos em aumentar o crédito à habitação; daí que seja grande a quantidade de prédios que a banca tem hoje em seu poder, por falta de pagamento dos respectivos juros e amortizações.

Na década de 1970 haveria em Portugal cerca de um milhão de habitações arrendadas; em 2011 já eram menos de 800 mil; agora serão apenas 470 mil. A reforma da lei do arrendamento de 2012 falhou. E a recente explosão do arrendamento local, aluguer temporário a turistas, tornou ainda mais longínqua a possibilidade de famílias portuguesas conseguirem arrendar casa para habitação, nomeadamente nas grandes cidades, como Lisboa e Porto.

Esta situação impede, na prática, que famílias de menores rendimentos tenham acesso a uma casa, pois os bancos – que entretanto se tornaram mais cautelosos – não lhes concedem crédito. E tudo indica que os juros, que nos últimos anos estiveram em níveis historicamente muito baixos (caso da Euribor, nomeadamente), irão subir daqui em diante; esta semana subiu o juro director da Federal Reserve, que tenciona voltar a subi-lo mais duas vezes neste ano. Juros altos representarão uma pesada carga para o futuro, a pesar em famílias de rendimentos médios que recorram ao crédito à habitação.

Acresce que, como disse esta semana Catarina Martins, líder do Bloco de Esquerda, deixámos “degradar o parque habitacional dos bairros municipais e dos bairros sociais um pouco por todo o país”. A habitação para os menos afortunados é, facto, um sério problema de Portugal.

17 mar, 2017
FRANCISCO SARSFIELD CABRAL
Rádio Renascença

_________________
Cláudio Carneiro


Facebook
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 16760
Pontos : 49157
Reputação : 0
Data de inscrição : 07/12/2013
Idade : 30
Localização : Sines

Ver perfil do usuário http://olharsinesnofuturo.criarforum.com.pt

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum