Olhar Sines no Futuro
BEM - VINDOS!!!!
Buscar
 
 

Resultados por:
 


Rechercher Busca avançada

Conectar-se

Esqueci minha senha

Palavras chave

Últimos assuntos
Galeria


Outubro 2017
DomSegTerQuaQuiSexSab
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031    

Calendário Calendário

Flux RSS


Yahoo! 
MSN 
AOL 
Netvibes 
Bloglines 


Quem está conectado
17 usuários online :: Nenhum usuário registrado, Nenhum Invisível e 17 Visitantes :: 2 Motores de busca

Nenhum

O recorde de usuários online foi de 864 em Sex Fev 03, 2017 11:03 pm

Quotas para quê?

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Quotas para quê?

Mensagem por Admin em Seg Mar 20, 2017 11:43 am

O DN revela hoje as intenções do PS para reforçar o sistema de quotas - lugares reservados a jovens e mulheres - nas listas do partido às eleições autárquicas. O objetivo passa por ultrapassar as exigências legais no que toca a candidatas e criar uma nova regra que aconselha as federações distritais a integrar jovens abaixo dos 35 anos, pelo menos 20%, nas listas a câmaras, assembleias municipais e juntas de freguesia.

Foquemo-nos na questão dos jovens, no arregimentar de uma nova geração para a vida partidária e para a coisa pública. Trata-se apenas de uma recomendação, aprovada pela Comissão Política Nacional, não impõe rigorosamente nada às estruturas regionais e locais, mas revela que está identificado um problema e que, no caso, os socialistas estão a tentar resolvê-lo. O PS aqui serve apenas de pretexto. Esta não é uma questão exclusiva dos socialistas. A política perdeu, há muito, o poder de sedução que teve em tempos e não é fácil encontrar uma receita para contrariar a tendência.

Entendo a tentação de impor ou sugerir quotas, mas o tema exige outras estratégias. Primeiro, seria necessário que os políticos no ativo parassem de dar razões para divórcio aos eleitores, a quem representam. Cumpram o que prometem. Debatam com os mínimos olímpicos de elevação. Discutam ideias e não pessoas ou casos. Assumam incompatibilidades. Evitem ligações menos claras. Falem claro. Não se entreguem ao populismo ou à demagogia. Um exemplo. Lateral, mas um exemplo. Na semana que passou, ficámos a conhecer - através de um jornal de referência - os rendimentos e o património dos gestores da CGD que entregaram as declarações no Tribunal Constitucional. Salários, carros e casas de pessoas que já nem sequer desempenham um cargo público. Entendemos melhor, agora, porque resistiram a entregar as declarações?

O clima criado nos últimos anos, com contributos dedicados da política, da justiça e do jornalismo, é um repelente de valor e talento. É impossível que alguém, sem pensar muito bem, sem pesar rigorosamente prós e contras, aceite um cargo de nomeação política ou decida inscrever-se num partido. Com ou sem quotas, não vai ser fácil recuperar a imagem da política e atrair jovens.

20 DE MARÇO DE 2017
00:31
Paulo Tavares
Diário de Notícias

_________________
Cláudio Carneiro


Facebook
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 16760
Pontos : 49157
Reputação : 0
Data de inscrição : 07/12/2013
Idade : 30
Localização : Sines

Ver perfil do usuário http://olharsinesnofuturo.criarforum.com.pt

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum