Olhar Sines no Futuro
BEM - VINDOS!!!!
Buscar
 
 

Resultados por:
 


Rechercher Busca avançada

Conectar-se

Esqueci minha senha

Últimos assuntos
Galeria


Junho 2017
DomSegTerQuaQuiSexSab
    123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930 

Calendário Calendário

Flux RSS


Yahoo! 
MSN 
AOL 
Netvibes 
Bloglines 


Quem está conectado
10 usuários online :: Nenhum usuário registrado, Nenhum Invisível e 10 Visitantes :: 1 Motor de busca

Nenhum

O recorde de usuários online foi de 864 em Sex Fev 03, 2017 11:03 pm

"Operação Resgate"

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

"Operação Resgate"

Mensagem por Admin em Ter Mar 21, 2017 12:23 pm

Sem boa vontade da máquina fiscal, a recuperação de empresas será uma miragem

O falhanço é sempre um soco no estômago. Mas quando o falhanço é motivado pela ausência de condições de recuperação, o soco é maior e as consequências mais nefastas. Vem isto a propósito da inabilidade estrutural e cultural do país para salvar empresas em dificuldade. Até ao período da crise, uma empresa em dificuldade era uma espécie de leproso. A insolvência não era - não é - mais do que uma antecâmara da morte. E legislação, Estado e credores, juntos, coveiros que precipitavam doentes para a cova.

Esta foi uma das realidades mais desconcertantes e negativas que conheci enquanto governante, e que me empenhei por contrariar e combater através do programa REVITALIZAR e do chamado "Processo Especial de Revitalização". Nessa altura, uma estimativa gritava como uma sirene: menos de 1% das empresas em processo de insolvência se salvaram. Criou-se então, em 2012, um novo modelo voltado para favorecer a recuperação e reestruturação de empresas, numa alternativa ao corredor da morte da insolvência. Esse modelo, com várias inovações legislativas e mecanismos práticos, gerou uma cultura e frutos, que o atual Governo, e bem, não deitou fora e tenta agora aperfeiçoar no âmbito do programa "Capitalizar". Está especialmente de parabéns a estrutura de missão liderada por José António Barros.

As melhorias introduzidas são bem-vindas e confirmam os diagnósticos feitos. A figura do "mediador" de recuperação de empresas e a opção de conversão de créditos em capital sem recurso aos tribunais são dois bons exemplos. O Fisco é que parece evoluir pouco nesta reforma. Se é verdade que estão em causa os interesses públicos, é também verdade que sem uma boa vontade da máquina fiscal a recuperação de empresas será em muitos casos uma miragem. Definitivamente, a economia tem de deixar de ser um cemitério e o país um exército que maltrata os seus soldados.

Por Almeida Henriques|00:30
Presidente da Câmara Municipal de Viseu 
Correio da Manhã

_________________
Cláudio Carneiro


Facebook
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 16760
Pontos : 49157
Reputação : 0
Data de inscrição : 07/12/2013
Idade : 30
Localização : Sines

Ver perfil do usuário http://olharsinesnofuturo.criarforum.com.pt

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum