Olhar Sines no Futuro
BEM - VINDOS!!!!
Buscar
 
 

Resultados por:
 


Rechercher Busca avançada

Conectar-se

Esqueci minha senha

Últimos assuntos
Galeria


Abril 2017
DomSegTerQuaQuiSexSab
      1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30      

Calendário Calendário

Flux RSS


Yahoo! 
MSN 
AOL 
Netvibes 
Bloglines 


Quem está conectado
20 usuários online :: Nenhum usuário registrado, Nenhum Invisível e 20 Visitantes :: 2 Motores de busca

Nenhum

O recorde de usuários online foi de 864 em Sex Fev 03, 2017 11:03 pm

A Europa entre o povo e o eixo franco-alemão

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

A Europa entre o povo e o eixo franco-alemão

Mensagem por Admin em Seg Mar 27, 2017 11:36 am


Os 60 anos do tratado fundador da Comunidade Económica Europeia servem de pretexto à reflexão sobre o futuro da União. Nem era preciso a data redonda. Na próxima semana o Reino Unido faz o pedido formal para sair. O eurocepticismo, mesmo sem vencer, nunca rendeu tantos votos. Que caminho seguir?
   
Philip Stephens discorre no Financial Times sobre o papel fundamental do eixo franco-alemão. "A fraqueza de França deixou a Alemanha exposta e a União Europeia desequilibrada." Para Stephen este é o momento certo para uma reconstrução do eixo e convida a experimentar um olhar optimista, imaginando "que os céus podem estar a clarear, que a Europa dos próximos anos, ainda que de forma modesta, vai surpreender os Jeremias e que o processo vai começar com um novo compromisso político entre França e a Alemanha". Macron, Merkel ou Shultz têm essa capacidade, acredita.

A liderança, que tão importante foi no início da construção europeia, é agora a chave da sobrevivência. O antigo primeiro-ministro belga Guy Verhofstadt afirma no Guardian que "numa economia em acelerada mudança, digital e global, a Europa tem de ser capaz de se adaptar. Para o assegurar, necessitamos uma verdadeira liderança e vontade política para mudar."

O antigo presidente do banco central, Jean-Claude Trichet, escreve, também no Guardian, que seja qual for o caminho que a Europa escolher, menos ou mais integração, em simultâneo ou a várias velocidades, "o nosso futuro tem de ser desenhado por todos e apropriado por todos. Não por instituições ou políticos, mas pelo povo que eles representam". 

No Les Echos, Jean-Marc Vittori defende que "a Europa não pode ser apenas económica, também tem de ser política e social (é por essa razão que poderá avançar melhor sem o Reino Unido). A Europa está a meio caminho. Mas, sobretudo, ela ainda é jovem. Roma não se fez só num dia."

André Veríssimo | averissimo@negocios.pt
27 de março de 2017 às 09:41
Negócios

_________________
Cláudio Carneiro


Facebook
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 16760
Pontos : 49157
Reputação : 0
Data de inscrição : 07/12/2013
Idade : 30
Localização : Sines

Ver perfil do usuário http://olharsinesnofuturo.criarforum.com.pt

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum