Olhar Sines no Futuro
BEM - VINDOS!!!!
Buscar
 
 

Resultados por:
 


Rechercher Busca avançada

Conectar-se

Esqueci minha senha

Palavras chave

tvi24  

Últimos assuntos
Galeria


Dezembro 2017
DomSegTerQuaQuiSexSab
     12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31      

Calendário Calendário

Flux RSS


Yahoo! 
MSN 
AOL 
Netvibes 
Bloglines 


Quem está conectado
17 usuários online :: Nenhum usuário registrado, Nenhum Invisível e 17 Visitantes :: 2 Motores de busca

Nenhum

O recorde de usuários online foi de 864 em Sex Fev 03, 2017 11:03 pm

A Europa entre o povo e o eixo franco-alemão

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

A Europa entre o povo e o eixo franco-alemão

Mensagem por Admin em Seg Mar 27, 2017 11:36 am


Os 60 anos do tratado fundador da Comunidade Económica Europeia servem de pretexto à reflexão sobre o futuro da União. Nem era preciso a data redonda. Na próxima semana o Reino Unido faz o pedido formal para sair. O eurocepticismo, mesmo sem vencer, nunca rendeu tantos votos. Que caminho seguir?
   
Philip Stephens discorre no Financial Times sobre o papel fundamental do eixo franco-alemão. "A fraqueza de França deixou a Alemanha exposta e a União Europeia desequilibrada." Para Stephen este é o momento certo para uma reconstrução do eixo e convida a experimentar um olhar optimista, imaginando "que os céus podem estar a clarear, que a Europa dos próximos anos, ainda que de forma modesta, vai surpreender os Jeremias e que o processo vai começar com um novo compromisso político entre França e a Alemanha". Macron, Merkel ou Shultz têm essa capacidade, acredita.

A liderança, que tão importante foi no início da construção europeia, é agora a chave da sobrevivência. O antigo primeiro-ministro belga Guy Verhofstadt afirma no Guardian que "numa economia em acelerada mudança, digital e global, a Europa tem de ser capaz de se adaptar. Para o assegurar, necessitamos uma verdadeira liderança e vontade política para mudar."

O antigo presidente do banco central, Jean-Claude Trichet, escreve, também no Guardian, que seja qual for o caminho que a Europa escolher, menos ou mais integração, em simultâneo ou a várias velocidades, "o nosso futuro tem de ser desenhado por todos e apropriado por todos. Não por instituições ou políticos, mas pelo povo que eles representam". 

No Les Echos, Jean-Marc Vittori defende que "a Europa não pode ser apenas económica, também tem de ser política e social (é por essa razão que poderá avançar melhor sem o Reino Unido). A Europa está a meio caminho. Mas, sobretudo, ela ainda é jovem. Roma não se fez só num dia."

André Veríssimo | averissimo@negocios.pt
27 de março de 2017 às 09:41
Negócios

_________________
Cláudio Carneiro


Facebook
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 16760
Pontos : 49157
Reputação : 0
Data de inscrição : 07/12/2013
Idade : 30
Localização : Sines

Ver perfil do usuário http://olharsinesnofuturo.criarforum.com.pt

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum