Olhar Sines no Futuro
BEM - VINDOS!!!!
Buscar
 
 

Resultados por:
 


Rechercher Busca avançada

Conectar-se

Esqueci minha senha

Palavras chave

tvi24  

Últimos assuntos
Galeria


Dezembro 2017
DomSegTerQuaQuiSexSab
     12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31      

Calendário Calendário

Flux RSS


Yahoo! 
MSN 
AOL 
Netvibes 
Bloglines 


Quem está conectado
17 usuários online :: Nenhum usuário registrado, Nenhum Invisível e 17 Visitantes :: 2 Motores de busca

Nenhum

O recorde de usuários online foi de 864 em Sex Fev 03, 2017 11:03 pm

Apito de partida de 38 milhões para o corredor Sines-Caia

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Apito de partida de 38 milhões para o corredor Sines-Caia

Mensagem por Admin em Sex Mar 31, 2017 11:37 am

Fotografia: Global Imagens

A ligação ferroviária entre Elvas e a fronteira com Espanha vai implicar um investimento de 38 milhões de euros.


O desenho do Corredor Internacional Sul, que vai ligar Portugal a Espanha e depois a França e à Alemanha, vai arrancar deste lado da fronteira. Hoje é lançado em Elvas o concurso para o primeiro troço do projeto português, que deverá estar a andar ainda em 2021. Quando todo o percurso de carga estiver completo, as mercadorias que chegam a Sines terão ligação privilegiada a Espanha. O projeto total vai custar 626 milhões de euros, com uma comparticipação europeia de quase 60%. 

Na primeira empreitada, a que vai ligar Elvas à fronteira com Espanha, a Infraestruturas de Portugal (IP) irá investir à volta de 23 milhões de euros, de um total de 38 milhões que a obra irá custar. Esta fase estará dividida em dois períodos, com a eletrificação, ampliação da estação ferroviária de Elvas, sinalização eletrónica e supressão de passagens de nível a serem os primeiros a avançar. Estas obras preparatórias têm um investimento previsto de 18,5 milhões. 

Com a modernização da Linha do Leste, neste troço que começa em Elvas, haverá um aumento da capacidade (número e comprimento) dos comboios e, por isso, menores custos do transporte e maior rapidez nos trajetos. Mas não é só aqui. O plano do executivo é que com o corredor internacional seja “possível encurtar o percurso entre Sines e a fronteira dos 445 km para cerca de 300 km”, fazendo os custos do frete ferroviário entre Sines e Madrid cair até 20%. 

Não é só: apesar de o corredor estar a ser desenhado para transportar mercadorias, começa a ser equacionada a possibilidade de vir a ser aberto, futuramente, ao transporte de passageiros. É que Lisboa e a fronteira ficam a praticamente duas horas de viagem. 

Os planos do governo apontam para que o Corredor Internacional Sul esteja operacional, em Portugal, no final de 2021, o mais tardar início de 2022, mas até lá existem 261 km de caminho-de-ferro para preparar. Este primeiro troço é de apenas 11 km e há outros quatro para restabelecer e modernizar. 

Para já, segundo dados cedidos ao DN/Dinheiro Vivo pelo Ministério do Planeamento e das Infraestruturas, os restantes troços ainda estão em fase de estudo de projetos. No entanto, as metas estão bem definidas: o segmento Évora–Évora Norte, considerado o mais desafiante de todos pela dimensão que a cidade assumiu desde que os carris ferroviários ali foram instalados, tem de estar fechado até setembro de 2019; pouco depois, em junho de 2020, será a vez da conclusão do Évora Norte-Elvas-Caia e, por fim, no fecho de 2021, o último e mais longo troço (147 km) vai ligar Sines a Ermidas e Grândola. 

Pedro Marques, ministro com a tutela das infraestruturas, reuniu-se em fevereiro com o homólogo espanhol Iñigo de la Serna para dar novo impulso a esta ligação. Os passos estão sincronizados entre os dois países. Em Espanha, foi anunciado o estudo para modernização da ligação Puertollano-Ciudad Real. 

O porto de Sines duplicou o número de movimentos de carga entre 2011 e 2016 e triplicou o movimento de contentores. Sozinho, este porto representa mais de 50% dos movimentos do país e, Portugal quer chegar aos 6,5 milhões de habitantes da comunidade de Madrid com a nova linha, potenciando as exportações nacionais. O governo prevê até 2026 duplicar a capacidade de carga de Sines; quase triplicar o movimento de contentores e “colocar Sines no top 10 dos terminais de contentores da Europa”.

Ana Margarida Pinheiro 
31.03.2017 / 08:00 
Dinheiro Vivo

_________________
Cláudio Carneiro


Facebook
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 16760
Pontos : 49157
Reputação : 0
Data de inscrição : 07/12/2013
Idade : 30
Localização : Sines

Ver perfil do usuário http://olharsinesnofuturo.criarforum.com.pt

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum