Olhar Sines no Futuro
BEM - VINDOS!!!!
Buscar
 
 

Resultados por:
 


Rechercher Busca avançada

Conectar-se

Esqueci minha senha

Últimos assuntos
Galeria


Abril 2017
DomSegTerQuaQuiSexSab
      1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30      

Calendário Calendário

Flux RSS


Yahoo! 
MSN 
AOL 
Netvibes 
Bloglines 


Quem está conectado
20 usuários online :: Nenhum usuário registrado, Nenhum Invisível e 20 Visitantes :: 2 Motores de busca

Nenhum

O recorde de usuários online foi de 864 em Sex Fev 03, 2017 11:03 pm

Ensino profissional

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Ensino profissional

Mensagem por Admin em Ter Abr 04, 2017 10:52 am

A aposta do Governo no ensino profissional e técnico é de saudar.

Antes do 25 de Abril existiam em Portugal escolas industriais, comerciais, agrícolas e outras. Ali se recebiam alunos que, por vários motivos (incluindo as finanças domésticas), se julgavam menos aptos para singrarem no ensino liceal, rumo à universidade.

Em 1975, no clima demagógico que então imperava, foi extinto o ensino técnico profissional, que passou a integrar o chamado ensino secundário unificado. A existência de duas vias de ensino era então considerada classista e discriminatória para os que enveredavam pelo ensino técnico.

Estas razões ideológicas cedo chocaram com a realidade. As empresas precisavam de trabalhadores qualificados e não os encontravam; os alunos do secundário que não tinham vocação para estudos mais aprofundados iam engrossar o número de desempregados.

Entretanto, agravava-se a fraca qualificação média dos portugueses, um dos grandes obstáculos à melhoria da produtividade e à aceleração do nosso crescimento económico.

No fim dos anos 80 começou a viragem, que se acentuou em 2008/09, quando os cursos profissionais passaram a ser oferecidos também em escolas públicas. Ontem, Dia do Ensino Profissional, foi confirmado o aumento de 25% das vagas no 10.º ano deste ensino.

Actualmente, 43% dos alunos do ensino secundário em Portugal frequentam cursos técnicos e profissionais. O Governo tem o objectivo de chegar a metade, que é a média europeia.

O presidente da Agência de Qualificação pretende, assim, acabar com os estigmas que ainda possam existir em relação a esta alternativa às vertentes mais tradicionais, como os cursos científico-humanísticos.

Sabe-se que o desemprego tem vindo a baixar em Portugal, embora lentamente. E que a criação de empregos tem muito a ver com o forte surto turístico a que estamos a assistir.

Mas é um erro pensar que um curso técnico-profissional não valoriza o trabalho nos sectores do turismo e da restauração. Com reflexos nos respectivos salários.

FRANCISCO SARSFIELD CABRAL
04 abr, 2017
Rádio Renascença

_________________
Cláudio Carneiro


Facebook
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 16760
Pontos : 49157
Reputação : 0
Data de inscrição : 07/12/2013
Idade : 30
Localização : Sines

Ver perfil do usuário http://olharsinesnofuturo.criarforum.com.pt

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum