Olhar Sines no Futuro
BEM - VINDOS!!!!
Buscar
 
 

Resultados por:
 


Rechercher Busca avançada

Conectar-se

Esqueci minha senha

Últimos assuntos
Galeria


Maio 2017
DomSegTerQuaQuiSexSab
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031   

Calendário Calendário

Flux RSS


Yahoo! 
MSN 
AOL 
Netvibes 
Bloglines 


Quem está conectado
18 usuários online :: Nenhum usuário registrado, Nenhum Invisível e 18 Visitantes :: 2 Motores de busca

Nenhum

O recorde de usuários online foi de 864 em Sex Fev 03, 2017 11:03 pm

Há mais empresas a pagar impostos

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Há mais empresas a pagar impostos

Mensagem por Admin em Ter Abr 04, 2017 6:16 pm

67,9% das sociedades tiveram que pagar IRC, nomeadamente por causa do pagamento especial por conta

O volume de negócios declarado em 2015 pelas empresas portuguesas aumentou 8,1% de 2014 para 2015, tendo passado de 17,6 mil milhões de euros para perto de 19 mil milhões de euros.

No total, 67,9% das empresas tiveram que fazer pagamentos de IRC, embora apenas 33,5% tenha de facto liquidado imposto. Isto acontece porque a maior parte das empresas acaba por pagar algum imposto através do PEC ou de tributações autónomas e derrama, etc, segundo as estatísticas do imposto publicadas no Portal das Finanças. Mesmo que tenham prejuízos.

O IRC liquidado pelos empresários cresceu 2% atingindo os 3.631 milhões de euros em 2015. O IRC liquidado resulta das deduções à coleta dos créditos por conta dos mecanismos para evitar a dupla tributação internacional, dos benefícios fiscais, designadamente os que têm natureza contratual e ainda dos montantes pagos antecipadamente através do pagamento especial por conta (PEC).

Embora as empresas com um volume de negócios acima de 25 milhões de euros representem apenas 0,4% do total foram responsáveis por 52,8% do IRC liquidado em 2015. Por sua vez, as companhias que faturam abaixo de 1 milhões de euros, por ano, representam 93,1% do total de declarações e responderam por 19% do IRC liquidado.

Por sua vez, a taxa média efetiva de imposto desceu entre 2013 e 2015, tendo passado de 23,1% para 20,9%, respetivamente. Esta redução ficou a dever-se ao corte na taxa geral do imposto em 4 pontos percentuais, durante este período, decidida pelo Governo anterior. A taxa geral passou de 25%, em 2013, para 23%, em 2014, e 21%, em 2015.

Menos prejuízos

O resultado líquido positivo cresceu 14,2% de 2013 para 2014, situação que se manteve em 2015, ano em que aumentou 7,6%. Já as empresas que declararam prejuízos reduziram 43,8% em 2015 (21 mil milhões de euros) face a 2014 (38 mil milhões), quando neste ano tinham aumentado 65,1% face a 2013 (23 mil milhões).

No total, em 2015 o fisco recebeu 452.683 declarações de IRC, mais 2,8% face ao ano anterior.

04.04.2017 às 16h58
ANA SOFIA SANTOS
Expresso

_________________
Cláudio Carneiro


Facebook
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 16760
Pontos : 49157
Reputação : 0
Data de inscrição : 07/12/2013
Idade : 30
Localização : Sines

Ver perfil do usuário http://olharsinesnofuturo.criarforum.com.pt

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum