Olhar Sines no Futuro
BEM - VINDOS!!!!
Buscar
 
 

Resultados por:
 


Rechercher Busca avançada

Conectar-se

Esqueci minha senha

Últimos assuntos
Galeria


Maio 2017
DomSegTerQuaQuiSexSab
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031   

Calendário Calendário

Flux RSS


Yahoo! 
MSN 
AOL 
Netvibes 
Bloglines 


Quem está conectado
20 usuários online :: Nenhum usuário registrado, Nenhum Invisível e 20 Visitantes :: 2 Motores de busca

Nenhum

O recorde de usuários online foi de 864 em Sex Fev 03, 2017 11:03 pm

​China e EUA: rumos cruzados

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

​China e EUA: rumos cruzados

Mensagem por Admin em Qua Abr 05, 2017 11:21 am

 Foto: Roman Pilipey/ EPA

A superpotência isola-se, a China afirma-se no plano externo.

Na próxima sexta-feira Trump recebe, na Florida, o presidente da China, Xi Xinping. Será o encontro entre o líder de uma superpotência, os Estados Unidos, que recua nas suas responsabilidades internacionais, e de um grande país que, prudentemente, passo a passo, vai assumindo mais responsabilidades e ambições externas.
Trump irá pressionar Xi Jinping para ajudar a conter a Coreia do Norte – mas parece não ser grande táctica negocial ter antecipadamente dito que, se a China não colaborar, os EUA resolverão sozinhos o problema. Com um ataque preventivo, presume-se, contrário à política externa de alheamento cara a Trump. A menos que tenha sido mais uma frase inconsequente do inquilino da Casa Branca.

O enorme défice na balança comercial dos Estados Unidos com a China foi tema insistente da campanha eleitoral de Trump, que ameaçou com o proteccionismo. Ao mesmo tempo que, em Davos, Xi Jinping defendia a globalização e o comércio internacional... Uma irónica inversão de papéis. Entretanto, perdeu sentido a queixa de Trump de que os chineses manipulam a cotação da sua moeda, desvalorizando-a para ganharem competitividade nos mercados: o yuan tem subido.

Um ponto será agradável para Xi Jinping: Trump não irá maçá-lo com protestos sobre violações das liberdades e dos direitos humanos na China. Esta semana o Presidente dos EUA recebeu o Presidente do Egipto, general al-Sisi (um autocrata pior do que Mubarak), e esse tipo de assuntos ficou fora da conversa.

Assim a China vai avançando na cena internacional. “À chinesa”, sem alterações bruscas, mas invertendo claramente o isolacionismo do passado. E assim irá preenchendo o vazio deixado por uma América virada para dentro.

05 abr, 2017
FRANCISCO SARSFIELD CABRAL
Rádio Renascença

_________________
Cláudio Carneiro


Facebook
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 16760
Pontos : 49157
Reputação : 0
Data de inscrição : 07/12/2013
Idade : 30
Localização : Sines

Ver perfil do usuário http://olharsinesnofuturo.criarforum.com.pt

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum