Olhar Sines no Futuro
BEM - VINDOS!!!!
Buscar
 
 

Resultados por:
 


Rechercher Busca avançada

Conectar-se

Esqueci minha senha

Palavras chave

tvi24  

Últimos assuntos
Galeria


Dezembro 2017
DomSegTerQuaQuiSexSab
     12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31      

Calendário Calendário

Flux RSS


Yahoo! 
MSN 
AOL 
Netvibes 
Bloglines 


Quem está conectado
13 usuários online :: Nenhum usuário registrado, Nenhum Invisível e 13 Visitantes :: 1 Motor de busca

Nenhum

O recorde de usuários online foi de 864 em Sex Fev 03, 2017 11:03 pm

“Ideias feitas”

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

“Ideias feitas”

Mensagem por Admin em Seg Abr 10, 2017 10:52 am

não se deve confundir o ter “ideias feitas” com o ter princípios, valores e ser coerente em função deles

Num mundo em acelerada mudança onde os processos dinâmicos e as estruturas de suporte com elevado grau de adaptabilidade assumem uma importância crescente, paradoxalmente, continuam a existir (eventualmente até a aumentar) aqueles que vivem num mundo de certezas. Não têm dúvidas, não colocam hipóteses, não equacionam e analisam diferentes estratégias de intervenção. É como se só existisse um caminho, o seu caminho, as suas escolhas. Não ouvem, ou quando ouvem não escutam. Para eles é tão evidente o que se deve ou não deve fazer que consideram que equacionar alternativas é perder tempo ou apenas um expediente para adiar as decisões.

Cada um de nós poderá e deverá fazer uma autorreflexão sobre se tem “ideias feitas”, ou melhor, quais são as suas “ideias feitas”, do nível profissional ao familiar e social. Isto porque as “ideias feitas” não são apenas perigosas quando se tomam macro decisões que influenciam direta ou indiretamente o bem-estar individual e coletivo, mas também quando são tomadas a um nível aparentemente mais micro, por exemplo no seio da família e no círculo de amigos, no que respeita à educação dos filhos (na escola, no clube, em casa ...), à alimentação, à prática desportiva, ao vestuário, às relações de amizade e regras de relacionamento, etc.

Devemos também questionarmo-nos porque é que temos essas “ideias”. São fruto das nossas vivências pessoais, da imitação e identificação com alguém, do “diz-se diz-se”, dos títulos dos jornais e telejornais, das redes sociais, ou de análises aprofundadas e fundamentadas ...?

Pode-se argumentar que, independentemente da origem, as consequências de ter “ideias feitas” são muito semelhantes. Nomeadamente a elevada probabilidade de não serem as mais adequadas e rentáveis para resolver os problemas e as situações a que se quer dar resposta. Contudo, é ao nível das estratégias para combater esta “praga” (que se manifesta e desenvolve entre as paredes de casa e nos locais de trabalho e se propaga institucional, social e culturalmente, por exemplo, através de um autoritarismo transvertido de populismo democrático, ou de psedo independentes “bem-falantes” que são especialistas de coisa nenhuma) que conhecer a origem e a raiz do problema é fundamental, sendo que a primeira linha de combate pode e deve passar pelo próprio indivíduo compreender o que defende e porque defende...

Numa perspetiva didática, convém alertar que não se deve confundir o ter “ideias feitas” com o ter princípios, valores e ser coerente em função deles. Até porque, para sermos coerentes, muitas vezes, é necessário mudar de opinião e de posição ... embora por vezes se pense precisamente o contrário.

Não é um caminho fácil pois, por um lado, fomos formatados para “aceitar sem questionar e aprofundar” e, por outro lado, os “maus exemplos” continuam a abundar. Não nos devemos esquecer que já tivemos um Presidente da República que se gabava de nunca ter dúvidas e um Ministro das Finanças que afirmava que não fazia nem tinha em conta diferentes cenários. Pois é... estamos conversados...

HÉLDER LOPES , PROFESSOR DA UMA  / 10 ABR 2017 / 02:00 H.
Diário de Notícias da Madeira

_________________
Cláudio Carneiro


Facebook
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 16760
Pontos : 49157
Reputação : 0
Data de inscrição : 07/12/2013
Idade : 30
Localização : Sines

Ver perfil do usuário http://olharsinesnofuturo.criarforum.com.pt

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum