Olhar Sines no Futuro
BEM - VINDOS!!!!
Buscar
 
 

Resultados por:
 


Rechercher Busca avançada

Conectar-se

Esqueci minha senha

Palavras chave

Últimos assuntos
Galeria


Agosto 2017
DomSegTerQuaQuiSexSab
  12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  

Calendário Calendário

Flux RSS


Yahoo! 
MSN 
AOL 
Netvibes 
Bloglines 


Quem está conectado
18 usuários online :: Nenhum usuário registrado, Nenhum Invisível e 18 Visitantes :: 2 Motores de busca

Nenhum

O recorde de usuários online foi de 864 em Sex Fev 03, 2017 11:03 pm

Um Governo entre a realidade e as narrativas

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Um Governo entre a realidade e as narrativas

Mensagem por Admin em Ter Abr 11, 2017 10:38 am

É austeridade sim e infelizmente necessária. Só não lhe fica bem acusar os outros governos de terem feito o que está a fazer, e bem.

A FRASE...
 
"Este (o défice de 2,1%) é um esforço que não acabou. Temos de prosseguir, temos de continuar, temos de continuar esta trajectória."
 
António Costa, Negócios, 24 de março de 2017
 
A ANÁLISE...
 
António Costa é um político habilidoso que detém o controlo político da situação, e dos apoios da dita geringonça, e sabe que a única ameaça ao seu Governo e ao seu plano vem da vertente económica. E essa tem duas frentes muito importantes, o controlo das contas públicas, a fim de evitar uma escalada nos juros e novo resgate, e o crescimento da economia, liberalizando e libertando o seu potencial, para uma estabilização estrutural das ditas contas públicas.
 
No primeiro caso, e ao contrário da narrativa, tem seguido uma política bastante responsável e pró-europeia, austeritária e de sacrifícios para todos os portugueses, na continuação dos governos anteriores, Passos Coelho com a troika e Sócrates com os PEC. Infelizmente nega-o… Ao ter orgulho no menor défice em democracia, sem aumentar a taxa de crescimento da economia, resultando na maior carga fiscal de sempre em função do PIB (37% segundo o Banco de Portugal), é caso para dizer como diriam os ingleses: "If it looks like a duck, swims like a duck and quacks like a duck, then it's a duck." É austeridade sim e infelizmente necessária. Só não lhe fica bem acusar os outros governos de terem feito o que está a fazer, e bem.
 
No segundo caso, na frente do crescimento o Governo produziu recentemente várias propostas de alteração e liberalização do regime das insolvências, em consulta pública até dia 14. A orientação vai para uma resolução mais célere das questões de insolvência, permitindo empresas viáveis serem capitalizadas, facilitando a conversão de dívida em capital, e as empresas inviáveis serem rapidamente extintas. Atualmente umas e outras arrastam-se pelos bancos ou pelos Tribunais de Comércio, perdendo valor e capacidade de investimento, mas ativas e prejudicando a concorrência, impedindo que outras empresas mais inovadoras e com mais potencial se possam desenvolver. Claro que o Diabo está nos detalhes, e neste caso nos mediadores. Talvez um pouco mais de exigência na sua seleção pudesse ajudar…
 
Artigo em conformidade com o novo Acordo Ortográfico
 
Este artigo de opinião integra A Mão Visível - Observações sobre as consequências directas e indirectas das políticas para todos os sectores da sociedade e dos efeitos a médio e longo prazo por oposição às realizadas sobre os efeitos imediatos e dirigidas apenas para certos grupos da sociedade.

maovisivel@gmail.com


Paulo Carmona
10 de abril de 2017 às 20:55
Negócios

_________________
Cláudio Carneiro


Facebook
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 16760
Pontos : 49157
Reputação : 0
Data de inscrição : 07/12/2013
Idade : 30
Localização : Sines

Ver perfil do usuário http://olharsinesnofuturo.criarforum.com.pt

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum