Olhar Sines no Futuro
BEM - VINDOS!!!!
Buscar
 
 

Resultados por:
 


Rechercher Busca avançada

Conectar-se

Esqueci minha senha

Palavras chave

tvi24  

Últimos assuntos
Galeria


Dezembro 2017
DomSegTerQuaQuiSexSab
     12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31      

Calendário Calendário

Flux RSS


Yahoo! 
MSN 
AOL 
Netvibes 
Bloglines 


Quem está conectado
19 usuários online :: Nenhum usuário registrado, Nenhum Invisível e 19 Visitantes :: 2 Motores de busca

Nenhum

O recorde de usuários online foi de 864 em Sex Fev 03, 2017 11:03 pm

Hidden Gems da Europa - Sines e Porto Covo, Portugal

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Hidden Gems da Europa - Sines e Porto Covo, Portugal

Mensagem por Admin em Qua Ago 06, 2014 12:19 pm

Músicas do Festival do Mundo, Portugal. Foto: Paul Allen 

Um convite para o Festival Músicas do Mundo anuais, onde os músicos de 34 países estavam alinhadas para um espectáculo de nove dias de jazz, blues, funk e muito mais, era motivo suficiente para se aventurar 100 milhas a sul de Lisboa para Sines e Porto Covo, o duas pequenas cidades de hospedagem do evento. O bónus foi a nossa introdução a província do Alentejo, uma região tão linda como o Algarve, mas muito menos visitada, principalmente por turistas ingleses. Um amigo Português expressou surpresa que estávamos viajando para uma área onde só os portugueses vão para as suas férias o que naturalmente fez o festival um empate ainda maior!

Bairro Alto Hotel terraço vista / Nascer do sol em quatro Seasons.Photos: Paul Allen

Nós alugamos um carro em Lisboa, no Iperrent, uma agência de aluguer de automóveis local, que tinha preços mais baixos que os suspeitos do costume, para conduzir ao longo da costa, uma vez que é um pouco mais perto de Sines de Faro, mais ele queria dizer mais uma oportunidade de passar um tempo em um dos meus cidades europeias preferidas. Imagens de Lisboa, muitas vezes apresentam as vistas espectaculares sobre os telhados vermelhos típicas e edifícios brancos para o rio Tejo assim parecia apropriado que ambos os hotéis que ficamos fornecidas vistas deslumbrantes. O terraço do hotel Bairro Alto foi classificado como o quarto melhor do mundo pela trivago por causa de suas vistas panorâmicas, enquanto a nossa varanda do décimo andar, no Four Seasons Hotel Ritz forneceu um panorama surpreendente de toda a cidade. Limonada de coco caseiro, cocktails soberbos no bar do terraço do Bairro Alto e sushi no Four Seasons de um dos melhores chefs de sushi em Lisboa, a estadia ainda mais memorável. Felizmente eu recomendo ambos os hotéis de 5 estrelas, por diferentes razões. O 55 quartos Bairro Alto Hotel está idealmente localizado para se divertir na área Chiado boémio repleto de restaurantes, bares e boutiques. O Four Seasons tem uma atmosfera serena devido à sua localização menos agitada e seu spa com piscina (sempre um bónus!), Mas ainda está perto o suficiente para a acção, incluindo a Avenida da Liberdade, a principal avenida de Lisboa, com grandes lojas de marca e boutiques chiques.




[ltr]
[/ltr]
[ltr]Doces à base de ovo ex-casino /, Confeitaria Nacional. Fotos: Paul Allen [/ltr]
[ltr]Um passeio de doces e salgados com Lisboa Foodie Passeios forneceu uma pré-visualização dos alimentos Alentejano teríamos no final da semana no festival. No maravilhoso Casa do Alentejo, um ex-casino com um pátio interior mouro de azulejos, dois teatros de fantoches e um bar / café e restaurante, foram amostrados polvo grelhado e Migas com Carne de Porco fritz, um prato apetitoso procurando, mas surpreendentemente delicioso feito de esmagado até pão integral, pingando de porco, alho e especiarias. E então, como um aquecimento para o festival, que bateu Hot Club, que afirma ser o mais antigo clube de jazz da Europa, onde ouvimos o excelente Nuno Ferreira Trio.[/ltr]
[ltr][/ltr]
[ltr]Praia Malhão perto Vila Nova Milfontes. Foto: Paul Allen [/ltr]
[ltr]A unidade de lazer ao longo da costa alentejana nos levou passado uma paisagem variada de praias, algumas com enormes dunas de areia, campos de arroz, rios e pinhais. Nossas praias favoritas eram as areias douradas em vez chiques da Comporta, completo com dois clubes de praia e restaurantes e da praia idílica perto da pequena aldeia de Melides. Como descobrimos, qualquer visitante amante da praia para esta área é muito por onde escolher. Perto do festival de música encontramos 14 praias entre Sines e Porto Covo sozinho, alguns com enormes dunas e ondas ainda maiores, alguns em pequenas enseadas, mais calmos e alguns com o que parecia ser formações de rocha vulcânica. E, um pouco mais ao sul é outra jóia de areia, quilómetros de praias de ambos os lados de um estuário, perto da bonita cidade de Vila Nova Milfontes.[/ltr]
[ltr]
[/ltr]
[ltr]Porto Covo / Moçambique cantora Selma Uamusse. Fotos: Paul Allen [/ltr]
[ltr]O site principal festival de música em Sines estava dentro das muralhas do castelo, a antiga casa do explorador do século 15 Vasco da Gama. Mas antes que as coisas começou lá, nós apreciamos três dias de shows mais íntimos em um palco ao ar livre, na praça principal da pequena aldeia piscatória de Porto Covo. Os pontos altos incluem os ritmos energéticos de Moçambique, nascido Selma Uamusse, Breton beatboxer Krissmenn e Cimarron, um grupo de seis peças da Colômbia liderada por harpista / compositor Carlos Rojas.[/ltr]
[ltr][/ltr]
[ltr]Saxofonista Colin Stetson. Foto: Paul Allen [/ltr]
[ltr]Embora a maioria dos shows foram no castelo, o nosso primeiro show em Sines destaque saxofonista Colin Stetson, em um pequeno centro de arte (o nosso único dentro de concertos). Stetson, que já tocou com Arcade Fire, Bon Iver, Tom Waits, LCD Soundsystem e muitos outros, também tem uma carreira solo respeitável e estava se apresentando canções de seu álbum brilhante trilogia Nova História Guerra. Eu tinha perdido shows sell-out de Stetson em Londres no Café Oto e Dingwalls então eu estava ansioso para ouvir o que tem sido descrito como um one-man orquestra. Depois do show, Stetson nos contou sobre a técnica de respiração circular que criou a ampla gama de sons marcantes que ouvimos, juntamente com a influência dos filmes de Terrence Malick e os romances de Haruki Murakami na sua música.[/ltr]
[ltr][/ltr]
[ltr]Cantora canadense Melissa Laveaux. Foto: Paul Allen [/ltr]
[ltr]O guitarrista / vocalista Melissa Laveaux que abriu para os gostos de Suzanne Vega, Feist, Meshell Ndegeocello e para Fink no festival de jazz de Montreux, pouco antes de vir para Sines, realizou uma mistura cativante de jazz, folk e blues. Em entrevista antes de seu show, fiquei surpreso ao saber que ela havia sido descoberto por sua gravadora no MySpace seis anos antes e intrigado com um tema para o seu próximo álbum de uma musa que, farto de ser uma musa, mata seu artista .[/ltr]

[ltr]
[/ltr]
[ltr]Funksters holandeses selva By Night / Fado estrela Gisela João. Fotos: Paul Allen [/ltr]
[ltr]Nós não desapontar por qualquer um dos concertos que vimos, embora, evidentemente, nós dois tivemos de favoritos. Eu adorava Gisela João, uma das novas estrelas da cena do Fado com sua voz soulful e intensamente bela presença de palco, enquanto Paul preferiu Jambinai, um colectivo rock experimental muito alto da Coreia. Nós amamos tanto da selva a noite de Amsterdam, um grupo de nove homens brancos jovens enérgicos que realizaram o funk mais notável que já ouvi em muito tempo, para uma plateia de milhares enrapt em frente à praia.[/ltr]
[ltr]
[/ltr]
[ltr]Kidjo.Photos Anthony Joseph / Angelique: Paul Allen [/ltr]
[ltr]Outras performances estelares vieram com sede em Londres poeta / cantor Anthony Joseph, o trompetista libanês Ibraahim Maalouf, artista multimédia Nástio Mosquito eo incomparável grammy astro Africano premiado Angelique Kidjo. Todos estes músicos incluídos letras com uma vantagem séria enquanto chicoteando a multidão em um frenesi de alegria. Canção pungente de Nástio Nascido no Líbano descreve andando nas ruas devastadas pela guerra de Beirute, pela primeira vez, doze anos de idade, enquanto ouve Led Zeppelin em seu walkman.[/ltr]
[ltr][/ltr]
[ltr]Fechando show no Castelo de Sines por Balkan Beatbox. Foto: Paul Allen [/ltr]
[ltr]Participamos da 16 ª edição do Festival Musicas do Mundo em Julho e foram seriamente impressionado com o número (mais de 50) e qualidade de shows, os locais, a organização e os locais. E é um negócio, com um passe para cobrir o festival de nove dias custando um razoável 40 € ou 10 € por um passe de um dia. Os organizadores do festival sugeriram que os visitantes ingleses provavelmente foram adiadas frequentar porque ele não está perto o suficiente para um aeroporto, mas vale bem a pena a viagem de duas horas de Lisboa, tendo na bela paisagem alentejana rota. [/ltr]
[ltr]Mais informações sobre o festival podem ser encontradas aqui: http://fmm.com.pt/[/ltr]
[ltr]Gig vídeos seleccionados do evento aqui: https://www.youtube.com/channel/UCmObh42QEjt3lJqTnFqBuuQ/videos[/ltr]

Fonte: http://www.huffingtonpost.co.uk/joanne-shurvell/hidden-gems-of-europe-sin_b_5635281.html?utm_hp_ref=uk-travel

[ltr]Por Joanne Shurvell[/ltr]
[ltr]Enviada: 2014/06/08 12:06 BST Actualizado: 46 minutos atrás[/ltr]
[ltr]The Huffington Post UK is provided by AOL (UK) Limited. © 2014 AOL (UK) Limited its affiliates and licensors[/ltr]
[ltr]Part of AOL Lifestyle[/ltr]





_________________
Cláudio Carneiro


Facebook
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 16760
Pontos : 49157
Reputação : 0
Data de inscrição : 07/12/2013
Idade : 30
Localização : Sines

Ver perfil do usuário http://olharsinesnofuturo.criarforum.com.pt

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum