Olhar Sines no Futuro
BEM - VINDOS!!!!
Buscar
 
 

Resultados por:
 


Rechercher Busca avançada

Conectar-se

Esqueci minha senha

Palavras chave

tvi24  

Últimos assuntos
Galeria


Dezembro 2017
DomSegTerQuaQuiSexSab
     12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31      

Calendário Calendário

Flux RSS


Yahoo! 
MSN 
AOL 
Netvibes 
Bloglines 


Quem está conectado
21 usuários online :: Nenhum usuário registrado, Nenhum Invisível e 21 Visitantes :: 2 Motores de busca

Nenhum

O recorde de usuários online foi de 864 em Sex Fev 03, 2017 11:03 pm

A arquitetura das escolas determina a educação?

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

A arquitetura das escolas determina a educação?

Mensagem por Admin em Seg Jul 06, 2015 10:53 am


Há estudos que sugerem que a arquitetura das escolas pode ter uma influência sobre o desenvolvimento cognitivo dos alunos. Vamos conhecer espaços pedagógicos que desafiam os modelos tradicionais.

Japão: Não há jardim de infância igual

Para as crianças que não querem que o recreio acabe, este é o local certo. O arquiteto Takaharu Tezuka deu uma forma circular àquele que é um dos maiores jardins de infância japoneses, com cerca de 600 pequenos alunos. O telhado do edifício tornou-se numa interminável pista de corrida. O espaço é preenchido por um sem-número de árvores e, apesar de a segurança ser naturalmente uma prioridade, as crianças aprendem a interagir livremente com tudo o que as rodeia.

Espanha: A importância dos espaços verdes para a memória

Para Marc Nieuwenhuijsen, o que conta é estar rodeado de árvores. O investigador do Centro de Epidemiologia Ambiental de Barcelona publicou um estudo científico sobre a relação entre o meio ambiente e a capacidade de concentração dos alunos. “Para fazer este estudo, recrutámos mais de 2500 crianças de 36 escolas de Barcelona. Durante um ano, medimos o seu desenvolvimento cognitivo em quatro ocasiões, através de testes informáticos. (…) Ao longo do mesmo período, identificámos os espaços verdes à volta das escolas através de imagens de satélite”, explica.

Dinamarca: A escola sem paredes

No Ørestad Gymnasium, a primeira coisa que salta à vista é a arquitetura. Quase não há paredes, o que equivale a dizer que quase não há salas de aula separadas. Aqui não há livros: os estudantes utilizam apenas o computador. Segundo o diretor, Allan Kjær Andersen, “aquilo que torna este edifício único são os espaços abertos e a aprendizagem através de recursos tecnológicos. Os professores organizam as aulas em função do que motiva os alunos. Uma forma de o fazer é justamente dar aulas num edifício onde os métodos de ensino não são tradicionais. Aqui as coisas têm de ser diferentes.”

03/07 17:35 CET
© euronews 2015


_________________
Cláudio Carneiro


Facebook
avatar
Admin
Admin

Mensagens : 16760
Pontos : 49157
Reputação : 0
Data de inscrição : 07/12/2013
Idade : 30
Localização : Sines

Ver perfil do usuário http://olharsinesnofuturo.criarforum.com.pt

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum